Resenha: Castlevania (Série)


Sinopse

Reza a lenda que a cada 100 anos o temível Vlad Drácula ressucitaria dos mortos com o único objetivo de dominar toda a Terra. Os únicos capazes de impedir tal ameaça são os membros da família Belmont, também conhecidos como o clã de caçadores ao Conde Drácula. Agora, estes corajosos guerreiros embarcam nesta perigosa missão a fim de salvar o leste europeu das mãos do vampiro.
        Não conheço muito o universo de jogos, mas ultimamente tenho tentado entender um pouco e navegar nesse mundo. Sendo assim, a Netflix me indicou e acabei assistindo Castlevania e não me arrependi de acompanhar a primeira temporada.

        De acordo com Wikipédia (não é uma fonte segura, entretanto foi o site mais explicado que encontrei) Castlevania é um jogo eletrônico japonês lançado em 1986, tendo como nome Akumajō Dracula (悪魔城ドラキュラ) cuja tradução fidedigna seria Castelo Demoníaco do Drácula. Ainda de acordo com essa página da internet a estória do mesmo decorre através do clã dos Belmont que são treinados para derrotar esse vampiro.

 Assim como no game a estória adaptada para a telinha tem como personagem principal Trevor Belmont, esse é o último dessa linhagem. A série retrata a esposa do Drácula, a cientista Lisa Tepes, que em busca de conhecimento acaba conhecendo seu marido e como consequência é queimada na fogueira como bruxa pelos representantes da igreja. Nesse momento Vlad Dracula Tepes jura vingança tanto para a humanidade como para a igreja e começa a destruir Valáquia que é um país. Belmont e Sypha Belnades, uma oradora que tem magia, acabam acordando Adrian Tepes, que é o filho do Drácula com Lisa, e vão tentar parar o vilão.

Como já destacando não sou critica cinematográfica e as minhas opiniões condizem com o meu olhar de telespectadora. Partindo desse pressuposto, gostei da série e muito. O que me incomodou foi o fato da mesma ter apenas 4 episódios de duração de 30 minutos cada, ou seja, quando comecei a ficar empolgada já tinha acabado. Nunca joguei, mas as pessoas que conheço que tiveram contato com o jogo disseram que os capítulos condizem com o original. A animação expõe sem nenhuma censura as cenas de violência com sangue e palavras de baixo calão, mas confesso que isso não me incomodou, ao contrário enfatiza mais o clima sombrio dos cenários. O que deixa um pouco a desejar são as cenas de ação, mas isso pode ser explicado já que não tem muita duração. A animação é em 2D o que adorei, pois foge do comum.

Posso finalizar e afirmar como leiga, que o estilo artístico, os personagens, o desenvolvimento da trama e a lealdade para a originalidade me cativaram e estou ansiosa aguardando a segunda temporada que já foi confirmada com 8 capítulos para o ano de 2018.


Você já assistiu? O que achou? Deixe um comentário.

Cultura: Los Carpintreiros (Mostra)

Dia do amigo!!


Hoje é um dia especial, afinal quem não tem amigo “bom sujeito não é!” (rs, brincadeira) Entretanto, dentre os poucos que me cercam tenho amigo para cada uma das ocasiões e resolvi homenageá-los nesse post. 

Resenha: Cinquenta tons de cinza (Filme)


    Anastasia Steele (Dakota Johnson) é uma estudante de literatura de 21 anos, recatada e virgem. Uma dia ela deve entrevistar para o jornal da faculdade o poderoso magnata Christian Grey (Jamie Dornan). Nasce uma complexa relação entre ambos: com a descoberta amorosa e sexual, Anastasia conhece os prazeres do sadomasoquismo, tornando-se o objeto de submissão do sádico Grey

Resenha: Impiedoso, Diana Palmer (Releitura)

Título: Impiedoso
Autora: Diana Palmer
Editora: Harlequin/ Rainha do Romance


Sinopse


Alto, moreno e bom partido?Era tudo o que importava para as mulheres de Jacobsville quando se tratava do belíssimo e distante agente do FBI Jon Blackhawk. Mas se dependesse dele, jamais constituiria família. Por sorte, Jon tinha uma guardiã: Joceline Perry, sua assistente eficiente e confiável. Sem sua ajuda, ele poderia ficar à mercê de uma caçadora de marido qualquer. No entanto, quanto mais Jon confiava nela, mais percebia o quanto Joceline era importante de verdade...
Ela também não conseguia negar como se sentia atraída pelo chefe, mas, como mãe solteira, tinha o dever de ser profissional. Contudo, quando Jon ficou na mira de uma vingança, ela estava ao seu lado para socorrê-lo, alimentando ainda mais a chama da paixão entre eles. À medida que o perigo aumentava, Joceline se tornava mais presente. Porém, quando a poeira abaixasse, será que o homem que sempre havia evitado o amor aceitaria que tudo de que precisava sempre estivera ao seu lado? 

Google+ Followers